O QUE É O CÂNCER? - MD.Saúde


O QUE É O CÂNCER?

O câncer (para brasileiros) ou cancro (para os resto dos países lusófonos) é o termo usado para designar mais de 100 doenças diferentes, que apresentam em comum, o crescimento desordenado de células anormais que possuem capacidade de invadir tecidos e se espalhar para outras regiões do corpo através dos vasos sanguíneos.
Publicidade
Neste texto vamos abordas as seguintes questões sobre o câncer:
  • O que é o câncer?
  • Como surge o câncer?
  • Por que o câncer é tão grave?
  • O que é uma metástase?
  • Que tipos de câncer existem?
  • Quais são os sintomas mais comuns do câncer?
Se você quiser ler sobre prevenção do câncer, acesse os links abaixo:

Como surge um câncer

É um processo complicado, mas vou tentar escrever do jeito mais simples possível. Mais uma vez a descrição não será 100% exata, já que esse texto não é voltado para estudantes da área de saúde.
O ciclo básico de vida de uma célula é se multiplicar quando necessário e morrer quando se torna velha ou quando sofre alguma lesão na sua estrutura.
As nossas células são programas para se autodestruírem em caso de alteração da sua conformação original, principalmente se houver lesão no DNA (código genético da célula, que determina suas características), não passível de reparo. Esta autodestruição se chama apoptose. Este mecanismo evita que lesões no DNA possam ser perpetuadas através da multiplicação de células anômalas.
Celula do câncer
Lesões celulares ocorrem diariamente em nosso organismo e são amplificadas pelo cigarro, radiação e produtos químicos, todas substâncias com alto potencial de lesão do DNA (carcinógenos). Só o cigarro possui mais de 4000 substâncias comprovadamente carcinógenas.

Graças a apoptose, não desenvolvemos câncer a todo momento.
O processo de multiplicação celular e apoptose é controlado por um grupo de genes chamado de protooncogenes. São os genes supressores de tumor. O câncer começa a surgir quando ocorrem mutações nesses protooncogenes, fazendo com que suas funções sejam abolidas. Os genes alterados passam a se chamar oncogenes, e em vez de impedir a formação de tumores, passam a estimulá-los.
A partir desse momento as células com alterações estruturais não só conseguem se multiplicar, como estão protegidas da apoptose. Portanto, são células se proliferam rapidamente e não morrem. Estas são as células cancerígenas.
Existem vários tipos de protooncogenes, cada tipo de câncer está relacionado a um ou mais desses. Os diferentes tipos de oncogenes explicam porque algumas famílias apresentam tendência a desenvolverem alguns tipos de câncer e porque o cigarro causa câncer de pulmão em alguns, de boca em outros, de bexiga, rins etc… A ausência de ativação de oncogenes específicos também explica porque alguns fumantes nunca desenvolvem câncer.
POR QUE O CÂNCER LEVA À MORTE ?
As células cancerígenas além de se multiplicarem, conseguem produzir seus próprios vasos sanguíneos, o que permite a elas receberem nutrientes e formarem as massas de células chamada de tumores. Outro fator determinante é a capacidade dessas células anômalas de alcançarem a circulação sanguínea e viajarem pelo corpo.
Quanto mais lesão tiver sofrido o DNA da célula, mais diferente ela será da célula que lhe deu origem. E se ela é diferente, não consegue despenhar as funções vitais que a original exerce. Então, passamos a ter um quadro onde células que não desempenham nenhuma função se multiplicam de modo muito mais rápido que o normal e passam não só a competir por alimento, como invadem e tomam o lugar das células normais.
Câncer - como surgem as metástases
Depois de um tempo passamos a ter um pulmão em que a maioria das células não consegue captar oxigênio, um intestino que não absorve nutrientes, um rim que não produz urina… Além disso, temos uma massa tumoral que cresce tanto que começa a esmagar e obstruir outros tecidos e vasos importantes. Um tumor do pescoço pode comprimir a traqueia e causar asfixia, um tumor de intestino obstrui a passagem das fezes, um tumor cerebral pode comprimir o cérebro contra o crânio, etc.
A célula cancerígena tem a capacidade de invadir tecidos próximos e alcançar vasos sanguíneos, podendo viajar pela circulação e acometer outros órgãos distantes. Este processo se chama metástase. Os tumores benignos são aqueles que não tem capacidade de metastizar.
Alguns termos para melhor compreensão:
  • Câncer – São células anômalas com capacidade de multiplicação, invasão a distância e de destruição. O câncer é sempre maligno.
  • Tumor – É o aumento anormal de um tecido, pode ser maligno ser for criado por células cancerígenas, mas pode ser benigno se for por células sem características de câncer.
  • Neoplasia – Semelhante a tumor.
  • Carcinoma – Câncer originado das células epiteliais (tipo de células que recobre a pele e a maioria da superfície dos órgãos) (leia: O QUE É CARCINOMA?).
  • Sarcoma – Câncer originado de células de vasos, músculos, gordura, osso e cartilagem.
  • Mesotelioma – Câncer originado de células do mesotélio, tecido que envolve alguns de nossos órgãos como a pleura, pericárdio e peritônio.
  • Leucemia – Câncer que se origina de células do sangue na medula óssea.
  • Linfoma – Câncer que se origina das células de defesa do organismo

Sintomas de câncer

Como eu já disse, existem vários tipos de câncer e cada um tem sua apresentação clínica distinta. Um tumor cerebral tem sintomas completamente diferentes de um tumor de próstata.
Todavia, os cânceres apresentam um grupo de sinais e sintomas que são mais ou menos comuns a todos.
DOR
É conhecido de todos que doentes com câncer sofrem de dores crônicas. Mas por que isso acontece?A maioria das dores do cânceres são de origem óssea, principalmente pelas metástases. Qualquer tumor pode metastizar para os ossos, e doentes em fases terminais podem apresentar várias fraturas espontâneas pelo corpo. A cefaleia (dor de cabeça) também é um sintoma comum e pode ocorrer por metástases para o crânio, compressão do cérebro pelo tumor, lesões hemorrágicas ou compressão dos nervos faciais. A compressão de nervos periféricos pela massa tumoral pode ser causa de dor em qualquer local do corpo. A dor também pode ser um efeito colateral da quimioterapia e da radioterapia.
CAQUEXIA
A caquexia é uma diminuição do apetite associado a rápida perda de peso e massa muscular. Diferente da desnutrição comum, a caquexia se caracteriza por uma perda de peso desproporcional a falta de ingestão calórica, que normalmente não é corrigida mesmo com uma alimentação forçada.As células tumorais produzem substâncias que agem diretamente no tecido muscular e adiposo (gorduroso), levando ao seu consumo. Por isso, doentes com câncer apresentam tanta dificuldade em ganhar peso.
FADIGA
O cansaço crônico do doente neoplásico pode ser causado pela própria caquexia, por anemia, por dificuldade em dormir (normalmente pela dor), e pela ação direta de substâncias produzidas pelo tumor.Também pode ser um efeito secundário do tratamento.
ANEMIA
A anemia é um achado quase universal nos cânceres. Qualquer doença crônica pode causar uma inibição na produção de hemácias pela medula óssea, e o câncer não é diferente. A anemia pode ser também por sangramentos do tumor, por inibição da absorção de ferro, por invasão tumoral da medula óssea ou por ação direta da quimioterapia e da radioterapia.
TROMBOSE
Pacientes com tumores malignos tendem a apresentar um estado de hipercoagulabilidade, ou seja, o sangue inapropriadamente coagula dentro do próprio vaso, formando trombos (leia sobre trombos no texto sobre AVC). Pode haver trombose de artérias e veias, assim como uma síndrome gravíssima chamada de “coagulação intravascular disseminada” (CIVD), onde a cascata da coagulação começa a ser ativada no corpo todo ao mesmo tempo, levando a formação simultânea de trombos e hemorragias difusas.
A ocorrência de trombose pode ser o primeiro sinal de uma neoplasia, e às vezes, antecede o diagnóstico de câncer em vários meses.
Para ler um artigo mais detalhado sobre os sintomas do câncer, acesse os links abaixo:
Sintomas específicos dos principais tipos de câncer
Além dos sintomas inespecíficos, listados acima, comuns a quase todos os tipos de cânceres, cada um apresenta ainda um conjunto de sintomas específicos relacionado ao órgão acometido.
1) Sintomas do câncer de pele (leia: Câncer de pele (Cancro de pele))
O câncer de pele é o tipo de câncer mais comum no Brasil. Ocorre principalmente em pessoas com mais de 40 anos e é muito raro em crianças e negros.
Existem vários tipos diferentes de câncer de pele, sendo o carcinoma basocelular,o carcinoma epidermoide e o melanoma, os mais comuns.
Os sintomas mais comuns do câncer de pele são manchas na pele, que podem ser muito parecidos com novos sinais ou pintas, porém, que mudam de forma, tamanho e cor. O câncer também pode se manifestar como feridas que não cicatrizam após 4 semanas.
2) Sintomas do câncer de próstata (leia: CÂNCER DE PRÓSTATA)
O câncer de próstata é o mais comum no sexo masculino, porém, apresenta mortalidade menor que os cânceres de pulmão e melanoma. É um câncer que apresenta crescimento lento, podendo levar vários anos até causar sintomas. Atualmente a maioria dos cânceres de próstata são detectados antes de existirem sintomas clínicos da doença
Quando há sintomas do câncer de próstata, estes são dificuldade para urinar, com redução da força do jato urinário, dor para urinar, vontade frequente de urinar e, mais raramente, hematúria (leia: HEMATÚRIA (URINA COM SANGUE )). Dores ósseas podem ocorrer em fases avançadas, quando já há metástases para os ossos.
3) Sintomas do câncer de mama (leia: CÂNCER DE MAMA – Sintomas e diagnóstico)
O câncer de mama é o câncer mais comum nas mulheres. É raro antes dos 35 anos e é mais comum em pacientes com história familiar positiva.
Os sintomas mais comuns do câncer de mama são o aparecimento de nódulos ou tumorações nas mamas, alterações na textura da pele, retrações do mamilo e linfonodos nas axilas.
4) Sintomas do câncer de pulmão
O câncer de pulmão é segundo tumor maligno mais comum quando se leva em conta homens e mulheres, e é o que apresenta maior mortalidade. Mais de 90% dos casos ocorrem em fumantes (leia: MALEFÍCIOS DO CIGARRO | Tratamento do tabagismo). Existem 4 tipos de câncer de pulmão: carcinoma de pequenas células, carcinoma epidermoide, adenocarcinoma e o carcinoma de grandes células.
Os sintomas mais comuns do câncer de pulmão são a tosse crônica, escarro com sangue (leia: TOSSE E ESCARRO COM SANGUE), dor torácica, falta de ar (leia: FALTA DE AR (DISPNEIA)) e infecções pulmonares de repetição.
Sobre o câncer de pulmão, leia: CÂNCER DE PULMÃO | Cigarro e outros fatores de risco.
5) Sintomas do câncer de cólon
O câncer colorretal abrange os tumores que acometem o intestino grosso e o reto. É dos cânceres mais comuns em homens e mulheres acima dos 50 anos.
Os principais sintomas do câncer de cólon são a anemia por perda crônica de sangue nas fezes, que pode ser perceptível ou não, dores abdominais, massas palpáveis no abdômen, constipação intestinal, diarreia crônica (leia: DIARRÉIA. SINAIS DE GRAVIDADE E TRATAMENTO) e dor ao evacuar.
6) Sintomas do câncer de colo do útero (leia: HPV | CÂNCER DO COLO DO ÚTERO | Sintomas e vacina).
O câncer de colo uterino está intimamente relacionado a infecção pelo vírus HPV, transmitido por via sexual.
Os principais sintomas do câncer de colo de útero são sangramentos vaginais e dor pélvica, porém, só ocorrem em fases tardias da doença.
7) Sintomas do linfoma (leia: O QUE É UM LINFOMA?).
8) Sintomas da leucemia (leia: LEUCEMIA – Sintomas e Tratamento).
9) Sintomas do mieloma múltiplo (leia: MIELOMA MÚLTIPLO | Sintomas e tratamento).
10) Sintomas do mesotelioma maligno (leia: MESOTELIOMA | ASBESTOSE | Doenças causadas pelo Asbesto).
11) Sintomas do melanoma (leia: MELANOMA | Câncer de pele).




Reprodução do artigo autorizada sem modificações (não retire os links do texto). 

Postagens mais visitadas deste blog

Professora gostosa foi expulsa da escola por deixar alunos excitados.