Condenado pela Psiquiatria café terá embalagens com selos de advertência | Diario Pernambucano - Falsiê, mas sem farsas.

Condenado pela Psiquiatria café terá embalagens com selos de advertência | Diario Pernambucano - Falsiê, mas sem farsas.

Condenado pela Psiquiatria café terá embalagens com selos de advertência


Café virá com selos psiquiátricos de advertência.

Cafeinopatia – O hábito de tomar café, comum em diversas partes do planeta, pode causar sérias doenças mentais. É o que afirma a última atualização doDiagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders (DSM-5), a bíblia psiquiátrica. A partir de agora, tomar aquele cafezinho no intervalo do serviço ou desfrutar da cafeína no jantar poderá lhe levar diretamente a um consultório psiquiátrico e, consequentemente, à farmácia mais próxima. Isso se deve ao fato de que o café, produto tão periculoso quanto a cocaína, pode causar transtorno mental temporário, síndrome de abstinência, inquietação, nervosismo, excitação, rubor, desconforto gastrointestinal, espasmos musculares, confusão na fala, insônia, ritmo cardíaco alterado e, em níveis extremos, a morte. “O café é a porta de entrada para a maconha, pois 90% das pessoas que fumam maconha bebiam café anteriormente. A cafeína não deveria passar sequer no teste do bafômetro. Fica a dica para o Geraldo Alckmin”, afirma Pedro Hyago Lins, psiquiatra no Hospital Metropolitano de São Paulo. Sendo assim, o Ministério da Saúde acaba de acatar as recomendações da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) e determinará, ainda em 2013, em ação conjunta com o Ministério Público do Consumidor (MPCON), que a comercialização de todas as marcas de café, incluindo o descafeinado, deverá estar submetida a um selo de advertência ao consumidor, indicando, assim como nas carteiras de cigarros, que não há níveis seguros para o consumo. A próxima etapa é criminalizar o uso e retirar  das prateleiras a clássica bebida nacional.

Postagens mais visitadas deste blog

Professora gostosa foi expulsa da escola por deixar alunos excitados.

Os Botões de Napoleão: as 17 moléculas que mudaram a história