Folha de S.Paulo - Educação - Pesquisa diz que 44% dos professores de SP dizem ter sofrido agressão em escolas - 09/05/2013



Pesquisa diz que 44% dos professores de SP dizem ter sofrido agressão em escolas

PUBLICIDADE

JAIRO MARQUES
DE SÃO PAULO

Atualizado às 12h47.
Em uma pesquisa divulgada nesta quinta-feira pela Apeosp (sindicato estadual dos professores), 44% dos professores afirmaram ter sido vítima de algum tipo de agressão --física, verbal ou assédio.
Dos pesquisados, 84% disseram que, no ano passado, souberam de algum caso de violência nos colégios em que lecionam.
Editoria de Arte/Folhapress
O levantamento ouviu 1.400 professores em 167 cidades paulistas entre 18 de janeiro e 05 de março deste ano e mostrou também que 4 em cada 10 escolas do Estado não possuem nenhum tipo de trabalho para conter a violência. A rede estadual de ensino em São Paulo tem 230 mil professores.
Segundo os professores ouvidos pela pesquisa, a "falta de educação, de respeito e de valores" são os motivos que mais levam à violência dentro das salas de aula (74%). Em seguida, vêm a "educação em casa" (49%) e a desestruturação familiar, com 47%.
A agressão mais comum presenciada nas escolas é a verbal (74%), seguida do bullying (60%) e o vandalismo (53%).
Em colégios que não fizeram nenhuma ação ou campanha contra a violência, 51% dos professores disseram que já sofreram algum tipo de agressão.
Os colégios das periferias são considerados, em 81% dos casos, mais violentos que os do centro.
O governo de São Paulo anunciou no início da semana que vai instalar sistemas de monitoramento de câmeras em 597 escolas estaduais da Grande São Paulo. Atualmente, 1.567 escolas e 20 diretorias de ensino da região metropolitana são monitoradas por câmeras de segurança dentro do programa.

Postagens mais visitadas deste blog

Professora gostosa foi expulsa da escola por deixar alunos excitados.

Os Botões de Napoleão: as 17 moléculas que mudaram a história