Bem Estar - Tonalizante é menos agressivo para o cabelo do que a coloração; veja dicas

Bem Estar - Tonalizante é menos agressivo para o cabelo do que a coloração; veja dicas


Tonalizante é menos agressivo para o 



cabelo do que a coloração; veja dicas


Tonalizantes não têm amônia e impedem que o produto penetre nos fios. 
No entanto, coloração não prejudica o cabelo se for feita com cuidado.

Do G1, em São Paulo
33 comentários
Colorir ou tonalizar? Qual a melhor opção para disfarçar os fios brancos ou mudar a cor do cabelo?
No Bem Estar desta terça-feira (7), a dermatologista Márcia Purceli e a cabeleira Jô Nascimento explicaram que o tonalizante é menos agressivo do que a coloração porque não tem amônia e possui baixa concentração de água oxigenada. Por isso, as cutículas dos fios ficam pouco abertas e impedem que o produto penetre - mas é bom lembrar que o tonalizante não colore os fios, apenas muda o tom da cor.
No caso da coloração, no entanto, a amônia presente em alguns produtos abre bastante as cutículas e, por isso, o cabelo fica tão ressecado e quebradiço. Segundo a cabeleireira Jô Nascimento, é importante, portanto, tomar todos os cuidados necessários na hora de colorir os fios para evitar danos que podem ser irreversíveis.
Queda e quebra de cabelo (Foto: Arte/G1)
Há ainda a opção de fazer mechas no cabelo, um clareamento em uma região apenas. De acordo com a cabeleireira Jô Nascimento, esse clareamento retira o pigmento do cabelo e cria fissuras no fio, que precisam cicatrizar.
Essa cicatrização deve ser feita com cremes e óleos - por isso, é tão importante fazer hidratação logo depois da coloração. A especialista alerta também que não é indicado fazer mechas em casa porque a falta de orientação pode causar danos aos fios - a dica é procurar um profissional de confiança.
Um dos fatores positivos das mechas é que elas podem disfarçar, por exemplo, o cabelo branco. Porém, quando não dá mais para disfarçá-los, a cabeleireira Jô Nascimento recomenda mechas tridimensionais, que misturam cor clara, escura e intermediária. Caso a pessoa tenha muitos fios brancos, ela deve optar pela coloração e deve retocar a cada 30 dias - sempre com os cuidados necessários.
Segundo a dermatologista Márcia Purceli, os fios brancos costumam aparecer principalmente por causa do envelhecimento, mas fatores como estresse, depressão e má alimentação também podem contribuir. Por isso, para ter um cabelo saudável, é importante fazer algumas mudanças de hábitos, especialmente na dieta.
Colori e não gostei. E agora?
A repórter Marina Araújo mostrou a história da estudante Tayana Gomes, que já tingiu o cabelo várias vezes e os fios ficaram extremamente ressecados e quebradiços(veja no vídeo ao lado). Depois de tantas tentativas, ela resolveu pedir ajuda do cabeleireiro Julio Crepaldi para reconstruir e recuperar os fios.
Segundo a cabeleireira Jô Nascimento, para devolver a saúde para o cabelo, são feitos tratamentos reconstrutores com gel ou cremes. Porém, ela alerta que a prevenção é ainda mais importante e, por isso, é essencial fazer hidratação uma vez por semana. Caso o cabelo esteja muito destruído, a pessoa deve, no entanto, ir ao cabeleireiro para fazer o tratamento com ajuda profissional.
Como colorir o cabelo em casa?
Segundo a cabeleireira Jô Nascimento, é importante deixar o cabelo sem lavar por, pelo menos, um dia antes de aplicar a coloração em casa.
Isso porque, quando os fios estão sujos, eles ficam mais oleosos e essa oleosidade pode proteger o couro cabeludo. Porém, é preciso tomar cuidado porque caso a pessoa deixe o cabelo sem lavar por, por exemplo, dois dias ou mais, o cabelo pode ficar mais oleoso do que o necessário e a coloração pode não pegar.
É importante também aplicar vaselina sólida na testa para protegê-la. Ao aplicar o produto, é fundamental respeitar o tempo de ação prescrito no rótulo do produto - se diz para deixar por 40 minutos, por exemplo, é esse o prazo; deixar mais não vai fazer a coloração pegar mais nos fios. Para quem quer alisar também os fios, a dica é alisar primeiro e só depois colori-los.
A dermatologista Márcia Purceli alerta que é preciso observar também se o produto causa alguma reação, como ardor ou coceira e vermelhidão – nesses casos, a dica é lavar imediatamente a região. Depois de sofrer algum tipo de efeito, a pessoa não deve insistir no uso da mesma coloração e deve recorrer aos produtos específicos para alérgicos.
*No vídeo ao lado, a apresentadora Mariana Ferrão tira dúvidas dos internautas com a dermatologista Márcia Purceli e a cabeleireira Jô Nascimento.

Postagens mais visitadas deste blog

Professora gostosa foi expulsa da escola por deixar alunos excitados.

Os Botões de Napoleão: as 17 moléculas que mudaram a história