Professores baianos e a saga em torno de seus salários



APLB-SINDICATO ENTRA NA JUSTIÇA PARA INCLUIR APOSENTADOS E PENSIONISTAS. CATEGORIA REPUDIA PROJETO DO GOVERNO

27 DE NOVEMBRO DE 2012 0

Em assembleia realizada na manhã desta terça-feira, 27 de novembro, na quadra de esportes do Sindicato dos Bancários, na Ladeira dos Aflitos, em Salvador, os professores repudiaram a aprovação do projeto do governo pela Assembleia Legislativa na noite de segunda-feira, 26. Os deputados aprovaram por 35 votos contra 8 o projeto de lei que prevê a progressão de carreira do magistério e reajuste de 14% para a categoria. São 7% em novembro de 2012 e 7% em março de 2013. A matéria aprovada também prevê a revogação da lei sancionada em novembro de 2011 que dava ganho real de 3% em 2013 e 4% em 2014.

Em razão disso, o sindicato entra com ação na Justiça para incluir aposentados e pensionistas, que foram ignorados e esquecidos pelo governo.

A categoria definiu fazer paralisação, assembleia, manifestação e passeata no próximo dia 13 de dezembro. A assembleia será às 9 horas, na quadra de esportes do Sindicato dos Bancários.

Também ficou definido que o sindicato colocará na mídia notas publicitárias informando o assunto e a posição sindical a toda a categoria.

“Nós vamos discutir a campanha salarial 2013 em janeiro. E o ganho real de 3% deve voltar à pauta”, disse o coordenador-geral da APLB-Sindicato, professor Rui Oliveira, justificando a marcação de uma assembleia geral para janeiro.

Em relação ao calendário, valeu a proposta da APLB-Sindicato de calendário letivo único para 2013. A matrícula será em fevereiro. Férias de 1° a 31 de março. Início das aulas em 1° de abril.

Fotos: Walmir Cirne
Você está em Noticias Bahia
27/11/2012 07h32 - Atualizado em 27/11/2012 11h30

Sob protestos, reajuste salarial dos professores estaduais é aprovado

Para a categoria, projeto de lei não contempla todos os docentes

Metro1
Imprimir Matéria
Enviar por E-mail
Tweet
Sob protestos, reajuste salarial dos professores estaduais é aprovado
Foto: Manuela Cavadas/Metropress (arquivo)
Após muitos protestos e uma greve de 115 dias, os deputados estaduais aprovaram, por 35 votos a favor e 8 contra, na noite desta segunda-feira (26), na Assembleia Legislativa (AL-BA), o projeto de lei do Poder Executivo que fixa os critérios de progressão dos professores da rede estadual de ensino. Alguns professores estiveram no local e realizaram uma manifestação nas galerias do plenário da Casa.

O projeto de nº 20.047/2012 estabelece normas de promoção da carreira do magistério público do ensino fundamental e médio do estado da Bahia para os anos de 2012 e 2013. Entretanto, de acordo com os deputados de oposição ao governo, a autoria não contempla todos os níveis e ainda prevê promoção através da avaliação da autoridade administrativa.

A bancada da minoria, que pedia que a votação fosse adiada para esta terça (27), apresentou emenda contra a revogação, proposta no projeto, do parágrafo 1º do artigo 9º da Lei 12.364/11, que assegura aos professores 13% de reajuste em 2013 e de 3% a 4% em 2014 entre outras emendas. Todas foram rejeitadas pelo relator João Bonfim (PDT). 
Ao longo da seção, o presidente da AL-BA, o deputado Marcelo Nilo, pediu a retirada dos professores e afirmou que nenhum dos manifestantes eram educadores.

Para o deputado estadual Carlos Geilson (PTN) esse projeto só mostra o que o discurso do PT não passa de retórica de campanha. "O governo esperou passar as eleições e agora apresenta um projeto que não contempla toda categoria. O governo enganou, ludibriou. Esperou passar as eleições e agora apresenta a toque de caixa um projeto com regime de urgência, para que os professores não tempo de se articular", criticou Geilson.

Nesta segunda-feira (26), os professores estaduais realizam um twitaço com a hashtag "#NegociaWagner" que teve o objetivo de mostrar a posição da categoria que é contra a aprovação do projeto de lei aprovado ontem. Em nota, os docentes disseram querem "uma solução justa para solucionar de vez a crise instalada na educação, que esse ano já passou por uma greve de 115 dias, a maior greve da história da educação no estado da Bahia". 
Hoje todas as atividades nas escolas estaduais foram suspensas pelos professores, em protesto a medida aprovada pelos deputados. Desde as 9h, os docentes estão reunidos na sede do Sindicato dos Bancários para planejar as ações que serão desenvolvidas ao longo dos próximos dias.

Você está em Noticias Política
27/11/2012 10h29 - Atualizado em 27/11/2012 10h31

Reajuste dos professores: deputado classifica projeto como lamentável

Sandro Régis disse ter certeza que povo baiano dará a resposta em 2014

Metro1
Imprimir Matéria
Enviar por E-mail
Tweet
A oposição até tentou, mas não conseguiu evitar a votação do projeto de lei que estabelece normas de promoção da Carreira do Magistério Público do Ensino Fundamental e Médio do Estado da Bahia para os anos de 2012 e 2013. Após muita discussão e fortes críticas dos parlamentares de oposição, a base governista, que é ampla maioria, conseguiu aprovar o projeto na sessão desta terça-feira (26) na Assembleia Legislativa.Foto: Manuela Cavadas/Metropress (arquivo)

Para o líder do PR/PSDB na Casa, deputado Sandro Régis, o governo mais uma vez traiu os professores baianos e cometeu o erro de não escutar os anseios da categoria. "Se esse projeto fosse bom para os professores, ele teria vindo para esta Casa na eleição municipal para o PT fazer média com os professores. Foi lamentável o que assistimos, mas 2014 está chegando e eu não tenho dúvidas que, da mesma forma que o povo de Salvador e de Feira de Santana rejeitou o projeto do PT, o povo da Bahia também saberá dar a mesma resposta", disparou. 

Postagens mais visitadas deste blog

Professora gostosa foi expulsa da escola por deixar alunos excitados.