G1 - Homem bebe energético e descobre lagartixa no fundo da garrafa em BH - notícias em VC no G1 MG

Virou moda achar coisas estranhas dentro de embalagens de alimentos. Há poucos dias, aqui em Salvador, alguém achou uma camisinha dentro de um frasco de iogurte. Embora seja algo pouco comum, caso ocorra, procure imediatamente o local onde você adquiriu o produto. As vezes problemas de armazenamento ocasionam essas situações de entrada de animais. è comum que empregados desses estabelecimentos, abram algumas embalagens, usem ou consumam parte do produto, e fechem a vasilha. Portanto, caso se perceba que o frasco ou embalagem foi aberto, não compre o produto. Aproveitando a deixa, é comum que mercados desliguem as geladeiras durante a noite, como forma de ecomomizar energia elétrica. Isso é proibido, pois a durabilidade do produto acaba por ficar comprometida. Produtos que vão para a geladeira não devem ser descongelados e recongelados. 
Produtos que passam por esse processo são fáceis de ser reconhecidos: é só observar a presença de uma camada de gelo esbranquiçada sobre a embalagem, ou água dentro da gôndola. É proibido desligar a geladeira, portanto, e se você identificar a presença de produtos nessas condições, cabe denuncia à ANVISA, ou ao órgão que representa e cuida da saúde na sua cidade. Parece um assunto de menor importância, mas na verdade não é. Ao desligar a geladeira, o aumento da temperatura permite que as bactérias, fungos e outros seres microscópicos começam a se reproduzir. Ao faze-lo precisam obter energia, alimentam-se e com isso produzem toxinas. O alimento, mesmo depois de cozido, ainda pode conter essas toxinas, o que o torna inadequado para o consumo. De forma semelhante, comprar produtos lácteos, fermentados, iogurtes e assemelhados vendidos nas ruas em caixas de isopor é uma grande furada! É óbvio que a temperatura sob a qual eles estão armazenados, em isopor, sob sol quente é inadequada, o que facilita o desenvolvimento de seres patogênicos, sua reprodução, e com seu desenvolvimento, a formação de toxinas. Na maioria dos casos essas toxinas, mesmo em pequenas quantidades (quantidades as vezes não detectáveis por meio de análise química), são suficientes para causar grandes males à saúde.
Aproveitando o tema, cuidado com latas amassadas. Ao sofrer amassos, a lata perde sua capacidade de armazenamento seguro. É por isso que em alguns mercados, principalmente de pequeno porte, há promoções "tentadoras" de produtos vendidos em latas amassadas. Não compre! O barato nesse caso pode custar sua vida.
Resumindo, muito cuidado com embalagens sempre que uma das seguintes situações  abaixo ocorrer, evite comprar o produto:
  • embalagens abertas, com fechamento impróprio;
  • latas amassadas;
  • latas com traços de ferrugem;
  • embalagens contendo sinais de que foi violada;
  • sinais de formação de gelo, ou água pingando da embalagem;
  • lacres rompidos, ou som sinais de ser estranho para a embalagem;


Homem bebe energético e descobre lagartixa no fundo da garrafa em BH
Leitora enviou foto para o VC no G1.Empresa informou que não existe a possibilidade de o fato ter ocorrido.
Kelly Cristina AmaralInternauta, Belo Horizonte, MG73 comentáriosUm homem bebeu um energético e descobriu uma lagartixa no fundo da garrafa. (Foto: Kelly Cristina Amaral/VC no G1)Um homem bebeu um energético e descobriu uma lagartixa no fundo da garrafa. (Foto: Kelly Cristina Amaral/VC no G1)Ela disse que o fato aconteceu no bar do pai dela, com um cliente antigo. “Ele comprou a bebida, abriu e saiu bebendo. Pouco tempo depois, ele voltou e mostrou para o meu pai a lagartixa”, disse. A jovem diz que nem ela nem o pai desconfiaram do cliente por já conhecê-lo há muitos anos.
O office boy Daniel Henrique Ferreira Martins, de 24 anos, foi o cliente que bebeu o Guarathon. Ele afirma que o líquido era escuro e, por isso, não percebeu o réptil dentro da garrafa. “Estava bebendo e vi uma coisa estranha no fundo. Na hora, pensei no caso do cara que encontrou uma perereca no picolé, mas pensei que não tinha como isso estar acontecendo comigo. Depois disso, vi a lagartixa grudada no fundo da garrafa”, falou.
Ele disse que até pensou em processar a empresa, mas desistiu. “Na hora, saí correndo e tomei um copo de leite para não passar mal. Nunca tinha bebido e, por isso, não senti gosto diferente. Ainda não tive nenhum problema de saúde”, brincou.saiba mais
Nota da redação: 
A gerente administrativa da Pratini, empresa que fabrica o Guarathon, informou que não existe a possibilidade de o fato ter ocorrido. “Nós somos uma empresa pequena, mas com um padrão de qualidade impecável. A gente tem plena convicção de que não aconteceu. Na nossa fábrica não tem a condição de ter uma lagartixa dentro de um produto, pela linha de produção que a gente tem. Nossos produtos são lacrados e já saem empacotados da empresa. Temos câmeras que monitoram toda a fabricação”, alegou a gerente.
Para ler mais notícias do VC no G1, clique em g1.globo.com/vcnog1. Siga também o VC no G1 no Twitter e por RSS.
Um homem bebeu um energético e descobriu uma lagartixa no fundo da garrafa neste domingo (7), na Região da Pampulha, em Belo Horizonte. A auxiliar administrativa Kelly Cristina Amaral, de 25 anos, fotografou o réptil ainda dentro da garrafa de um Guarathon.

Postagens mais visitadas deste blog

Professora gostosa foi expulsa da escola por deixar alunos excitados.

Os Botões de Napoleão: as 17 moléculas que mudaram a história