Folha de S.Paulo - Educação - Denúncia contra aluna que fez diário da escola deve ser arquivada - 20/09/2012


Denúncia contra aluna que fez diário da escola deve ser arquivada

PUBLICIDADE

NATÁLIA CANCIAN
DE SÃO PAULO

denúncia contra a estudante Isadora Faber, 13, que criou um diário virtual para mostrar os problemas da escola pública onde estuda, não deve seguir adiante, segundo a Polícia Civil de Santa Catarina. A aluna havia sido acusada de calúnia e difamação por uma das professoras da escola, que fica em Florianópolis.


Segundo o delegado Marcos Alessandro Vieira Assad, após registrar um boletim de ocorrência contra a aluna no final de agosto, a professora decidiu não fazer uma representação criminal contra ela, o que impede a abertura de um inquérito policial para investigar o caso.
"Não houve representação por nenhuma das partes, o que é uma exigência legal. Com isso, [o caso] não poderá ir para frente", afirma Assad.
O delegado diz ainda que vai ouvir a diretora da escola e enviar o caso à Delegacia de Proteção à Criança e Adolescente e ao Ministério Público, para acompanhamento. "Fisicamente, ele vai à Justiça, mas não deve ter prosseguimento. O mais provável é que seja arquivado", diz.
Alvarlio Kurossu/Agência RBS/Folhapress
Professora registrou boletim de ocorrência acusando aluna da 7ª série de calúnia e difamação em SC
Professora registrou boletim de ocorrência acusando aluna da 7ª série de calúnia e difamação em SC
Isadora foi intimada a prestar depoimento na terça-feira (18), acompanhada do pai. "Nunca tinha entrado numa delegacia antes", escreveu a jovem na página "Diário de Classe".
Segundo a mãe de Isadora, a produtora de vídeos Mel Faber, 45, a professora de português incomodou-se com um comentário feito no dia 24 de agosto.
"Hoje a professora de português Queila, preparou uma aula pra me 'humilhar' na frente dos meus colegas, a aula falava sobre política e internet, ela falava que ninguém podia falar da vida dos professores, porque nós podíamos ter feito muitas coisas erradas pra eles odiarem e etc. Eu e acho que a maioria dos meus colegas entenderam o recado 'pra mim". (...) Confesso que fiquei muito triste", escreveu Isadora à época.
A mãe da aluna disse que a professora já havia conversado com Isadora e o assunto estava encerrado. A família surpreendeu-se quando recebeu a intimação.
"Ela ficou um pouco assustada [quando foi intimada], mas voltou bem contente. Foi muito bem tratada e falou o que tinha feito", diz Mel.
CRÍTICAS
Criada em julho, a página de Isadora no Facebook já conta com mais de 280 mil seguidores. Segundo a mãe, após criar a página, a aluna passou a receber críticas e indiretas na escola. "Ela chega a sofrer ameaça de alguns colegas", conta.
A reportagem tentou falar com a diretora da escola nos últimos dois dias, mas não conseguiu contato. Já a Secretaria de Educação de Florianópolis disse que "a situação tornou-se um caso particular entre a professora e a família da aluna" e que não iria interferir.
O Ministério Público diz que, após receber os depoimentos, vai verificar se os direitos da criança estão sendo respeitados.

Postagens mais visitadas deste blog

Professora gostosa foi expulsa da escola por deixar alunos excitados.

Os Botões de Napoleão: as 17 moléculas que mudaram a história