46 anos de Jornada nas Estrelas

Spock: o personagem mais amado da série

.

"O espaço, a fronteira final..." Jornada nas Estrelas está completando 46 anos de existência. A série escrita para a televisão tornou-se um marco das séries de ficção científica, influenciando gerações.
Tendo iniciado suas primeiras viagens ao espaço em 1966, portanto, antes do homem pisar efetivamente na Lua, a série já tratava de uma humanidade futurista, não apenas em seus aparelhos eletrônicos, mas em seus objetivos de vida. 
Se prestarmos atenção à série, veremos que, mesmo lá nos anos 60, já tínhamos contato com várias das nossas modernidades, como o tablet, o laser, o celular a comunicação entre aparelhos que transmitem voz e imagens... numa época em que o telefone ainda era algo bem pouco popular e difícil uso.
Série Clássica
Entretanto, não apenas em razão dessa aparelhagem tecnológica, mas também em razão das discussões sociais, econômicas e culturais a série mostrou-se bastante inovadora. Pensem que temas como racismo, religião, sustentabilidade, meio ambiente, guerra, ideologias políticas e econômicas... tudo bem discutido. Veja que na Ponte da Nave mais importante da Frota Estelar, a Enterprise, está uma tenente negra! Um alienígena, Spock (de sangue verde, orelhas pontudas e isento de emoções: como um diabo), homens e mulheres convivendo harmoniosamente e disciplinadamente por meses, no contexto da série. Logo, questões como gênero, cor da pele, diferenças religiosas, temas que hoje criam conflitos ao redor do mundo, neste universo, são problemas resolvidos há muito tempo.
Não é a toa que essa série gerou outros filmes e mais 5 séries de televisão. Star trek tem a legião de fãs mais fiéis do mundo, juntamente com Arquivo X e Stargate. 
Vale a pena ler um pouco mais sobre o assunto, e ver alguns episódios da série. Um exercício interessante é ver que o futuro previsto para o século XXIV, na verdade chegou bem antes. E que aquilo que ainda não chegou até nós, poderá chegar um dia, com muito trabalho de pesquisa e aplicação da ciência. A série mostra que, muitas vezes, a ponte que une futuro ao presente passa pela imaginação. 
Recentemente, a Paramount resolveu ressuscitar a franquia, com a criação, em 2009/2010 do Filme como uma história alternativa, criada a partir de um evento interestelar  único: uma singularidade que fez com que duas naves retornassem ao passado. Uma delas a de Spock. Neste contexto, Kirk pode agora conviver com dois Spocks simultaneamente, tendo diferença de alguns anos (muitos, já que Volcanos podem viver bem mais que humanos). 
Não é difícil encontrar episódios completos na internet. Recomendo que as pessoas comecem pela série original, ou clássica,e sigam vendo os filmes. Em Salvador, a Video Hobby tem quase todos os filmes da série clássica, Nova Geração e Voyager.
Membros da Nova Geração

Postagens mais visitadas deste blog

Professora gostosa foi expulsa da escola por deixar alunos excitados.