Distúrbios da ATM « Blog


Distúrbios da ATM

Disfunção ou Distúrbio da ATM ou Disfunção Temporo-Mandibular (DTM) é um termo usado para descrever vários sintomas que envolvem a ATM e as estruturas relacionadas a ela.
“ATM” significa Articulação Temporomandibular. Existem 2 ATMs localizadas uma no lado direito e outra no lado esquerdo. A ATM é uma das articulações mais utilizadas de todo o corpo, ela abre e fecha aproximadamente 1500 a 2000 vezes ao dia, durante os movimentos de falar, mastigar, deglutir, bocejar e ressonar.
Disfunção ou Distúrbio da ATM ou Disfunção Temporo-Mandibular (DTM) é um termo usado para descrever vários sintomas que envolvem a ATM e as estruturas relacionadas a ela. Aproximadamente 60% da população mundial sofre de alguma disfunção nesta articulação.
A ATM é a articulação mais usada do corpo humano, sendo responsável pela abertura e fechamento da boca durante a mastigação, fala e deglutição. Cada articulação temporomandibular é composta pelos ossos temporais e a mandíbula, e está localizada a alguns centímetros anterior aos ouvidos.


Os sintomas que a disfunção temporomandibular pode apresentar são variados:
  • Dores na ATM
  • Dor facial
  • Dor ao redor do ouvido
  • Dores de cabeça
  • Sensação de ardência no nariz, garganta e língua
  • Rigidez e inchaço na ATM
  • Mastigação dolorida
  • Estalos e crepitação ao fechar e abrir a boca
  • Pressão e zumbido nos ouvidos
  • Perda de audição
  • Dores no pescoço e ombros
  • Desordens emocionais como irritabilidade, depressão e estresse
Outro sinal que pode indicar uma disfunção na ATM é a amplitude da abertura da boca que deve ser de 3 dedos (4,5 cm) aproximadamente.
Bruxismo (apertar e ranger os dentes) e problemas de oclusão ( mordida aberta, cruzada, desvio da linha mediana) também podem estar presentes na DTM.
As causas gerais que podem provocar ou contribuir para a Disfunção na ATM podem ser:

  • Desequilíbrio do Sistema Craniossacral: posicionamento irregular dos ossos temporais, palato duro e osso esfenóide, devido à tensões e contrações dos músculos e ligamentos da mastigação, desalinhamento postural, má formação genética, traumatismo físico e emocional
  •  Estresse físico, mental, e emocional
  •  Nevralgia do trigêmio
  •  Doenças degenerativas
  •  Problemas dentários
  • Disfunções musculares: dor miofacial, espasmo muscular, contratura, miosite, distensão, tendinite e doença secundária do colágeno.
  • Disfunções articulares
  • Disfunções inflamatórias: capsulite, retrodiscite ou poliatrite por exemplo.
  • Doenças não inflamatórias: Osteoatrite primária, osteoartrite secundária, anquilose.
  • Problemas posturais:
Para BRICOT (1999), o aparelho mastigador faz parte integrante do Sistema Postural. O aparelho manducatório é o traço de união entre as cadeias musculares anterior e posterior. A mandíbula e a língua estão diretamente ligadas à cadeia muscular anterior. É necessário sublinhar o papel de “pivô fundamental” do osso hióide. A maxila por intermédio do crânio esta em relação com as cadeias posteriores. Mas também através dos músculos que são o contra-apoio da oclusão e da deglutição: esternocleidomastóideos, trapézio, peitorais, etc. Todo desequilíbrio do aparelho mastigatório poderá, através destas vias, repercutir sobre o conjunto do sistema tônico postural.
As alterações posturais da cabeça, do pescoço e dos ombros podem ser fatores etiológicos da disfunção. O crânio esta conectado à coluna pela articulação atlanto occipital. O baricentro do crânio esta situado aproximadamente na cela túrcica, e dessa forma, à frente do fulcro crânio vertebral. Dessa forma a força da gravidade tenderá a inclinar a cabeça para frente, mas é contrabalançado pela ação dos músculos posteriores do pescoço. Quando essa ação fracassa, há perda parcial ou total da curvatura cervical. Em casos extremos é observada inversão da curvatura. No plano frontal um desnivelamento do ombro é freqüentemente observado, com escoliose compensatória da coluna cervical. Esses problemas podem induzir disfunção seja favorecendo a fadiga dos músculos cervicais, aparecimento das áreas de disparo (trigger points) e indução de dores craniofaciais, seja determinando um deslocamento do osso hióide e, indiretamente uma alteração de posição postural da mandíbula, (MONGINI, 1998).
Por existir tantas causas variadas e interligadas a disfunção da ATM tem um tratamento multidisciplinar:
  • Tratamento Odontológico: O mais comum é o da utilização de placas. Este tipo de tratamento promove uma posição condilar mais estável e funcional, normaliza a atividade muscular permitindo que a própria musculatura leve a mandíblua a uma posição adequada, reduz ou elimina sinais e sintomas da disfunção na ATM.

  • Tratamento Fonoaudiológico: o objetivo é adequar a tonicidade e mobilidade muscular adaptando as funções estomagnáticas – sucção, mastigação, deglutição, fala e fonação – para que não haja a dor muscular tanto em repouso como no movimento e para que este ocorra de forma coordenada e precisa, sem desvios da linha média no fechamento e/ou abertura da boca.

  •  Tratamento Fisioterapêutico: Proporciona um alívio das condições sintomatológicas do paciente, buscando restabelecer a função normal do aparelho mastigatório. São utilizados vários recursos como massoterapia, eletroterapia, cinesioterapia, RPG, Osteopatia
                                                         
  • Tratamento Psicológico: Auxilia no tratamento do Stress e problemas de origem emocional. Em muitas pessoas o estresse crônico pode tirar os músculos do estado de repouso para um estado de contração excessiva. Essa hiperatividade dos músculos pode fazer com que eles fiquem doloridos. É muito freqüente o problema nas articulações temporomandibulares aparecerem após um período de estresse.

Um forte abraço, saúde e felicidades a todos.
Daniela Guerra

Postagens mais visitadas deste blog

Professora gostosa foi expulsa da escola por deixar alunos excitados.