Anticoncepcional masculino? « Blog


Anticoncepcional masculino?

Os métodos masculinos contraceptivos.
Esta semana fui questionado a respeito da existencia do anticoncepcional masculino.
Todos sabemos que atualmente os anticoncepcionais disponíveis para os homens são o preservativo (camisinha) e a vasectomia.
O preservativo tem uma dupla vantagem, pois além de sua função na anticoncepção, também previne doenças sexualmente transmissíveis como aids, sífilis, gonorréia, hepatite e etc.
A vasectomia é um procedimento cirúrgico, podendo ser realizada em ambulatório e consiste na sutura e afastamento, separando o ducto deferente – responsável pela condução dos espermatozóides – em duas extremidades, impedindo assim a chegada das células reprodutoras masculinas ao órgão reprodutor feminino no momento da ejaculação.
Quanto aos métodos anticoncepcionais masculinos nos moldes dos femininos, como as pílulas anticoncepcionais e as injeções hormonais, estão ainda em fase de desenvolvimento. No Brasil, há algum tempo atrás, o Professor Elcimar Coutinho desenvolveu um produto retirado da semente de algodão chamado cossipol, que chegou a ser testado com sucesso, como método anticoncepcional masculino. mas até agora este produto não teve liberada a sua produção e por conseguinte sua venda, pela ANS. Na europa outros produtos estão sendo desenvolvidos utilizando
associações hormonais de testosterona e progesterona em composições variáveis; porém, o fator limitante que sempre acompanha esses produtos são os efeitos colaterais.
As injeções com a associação destes homônios também vêm sendo testadas, mas efetivamente não se dispõe hoje de uma injeção ou pilula sendo comercializada.
A China, em particular, tem grande interesse nesse assunto e também tem pesquisas bastante avançadas nesse terreno.
Mas será que a mulher está realmente preparada para entregar a responsabilidade da anticoncepção aos homens, já que passaram boa parte do século passado lutando pelo direito de decidir a respeito do seu corpo?
E os homens que tradicionalmente acostumaram com a responsabilidade feminina à anticoncepção; será que estão preparados para assumir essa responsabilidade e usar diariamante uma pilula; sem falar no medo ancestral aos efeitos colaterais que estes fármacos poderiam causar á sua virilidade?
A indústria farmaceutica, por seu turno, terá dificuldade em investir em um produto em que a aceitação pelo público masculino será duvidosa e o apoio do publico feminino será, ao que parece, parcial.
O assunto é complexo tanto do ponto de vista cientifico quanto antropológico, e seguramente muita água ainda irá rolar até que o homem possa enfim usar sua pilula anticoncepcional.

Postagens mais visitadas deste blog

Professora gostosa foi expulsa da escola por deixar alunos excitados.