Marinha analisará amostra de óleo derramado na costa de Madre de Deus


Marinha analisará amostra de óleo derramado na costa de Madre de Deus

Da Redação, com informações de Marjorie Moura
Uma equipe de Inspeção Naval, enviada pela Capitania dos Portos da Bahia (CPBA), recolheu amostras da mancha de óleo de origem desconhecida que contaminou ao menos quatro quilômetros da costa de Madre de Deus (distante a 63 km de Salvador) e inviabilizou a pesca no local. A mancha, que atingiu também as regiões de Paramana, Ilha Maria da Guarda e Mirim, ameaça o manguezal da área.

Em nota enviada à imprensa neste domingo, 17, a CPBA informou que, além de amostras do mar, os inspetores também recolheram materiais de navios atracados no terminal. O material será encaminhado ao órgão técnico da Marinha do Brasil, o Instituto de Estudos do Mar Almirante Paulo Moreira, para análise e elaboração do Laudo Técnico Ambiental, o que possibilitará a lavratura da notificação do responsável pelo vazamento. 

A CPBA disse, ainda, que recebeu o comunicado do vazamento do óleo por meio de um telefonema de um supervisor de turno do Terminal de Madre de Deus (TEMADRE), no sábado, 16, por volta das 13h.

A poluição inviabilizou a pesca no local e ainda não se sabe quando a atividade poderá ser regularizada. O acidente atingiu o mangue da Ilha Maria da Guarda que passa por um processo de reflorestamento após um derramamento de óleo ocorrido em 2009 que dizimou o local. 

Acidente - O presidente da Associação dos Pescadores de Madre de Deus, José Antonio Santos, o Zé Tonel, explica que a mancha foi avistada por um pescador por volta das 6 horas deste sábado (16), na região do terminal. Segundo apurações feitas inicialmente pelos profissionais da pesca, isto ocorreu pouco depois de um navio de nacionalidade desconhecida ter sido abastecido e partido em viagem.

A bióloga Jaqueline Souza foi enviada pela prefeitura e trafegando num barco fez uma avaliação dos estragos. “O impacto vai se verificando aos poucos com impossibilidade de reprodução dos micro-organismos e destruição da vegetação, o que afeta diretamente a pesca”, disse. 

O secretário do Meio Ambiente de Madre de Deus, Antero Fernando de Souza Filho, explicou que, ao ser informado do acidente entrou em contato com a Transpetro e com o Centro de Defesa Ambiental (CDA) da Petrobras.

O gerente da Transpetro, Valdo Gomes, informou que foi realizado amplo levantamento e verificou-se a mancha não teve origem em operações nos Terminal de Madre de Deus ou na Refinaria Landulpho Alves.
Conforme informou a CPBA em nota, as buscas por indícios de poluição na área continuam sendo feitas.

Postagens mais visitadas deste blog

Professora gostosa foi expulsa da escola por deixar alunos excitados.