Avaliações equivocadas e prejuízos

Esse comercial é um pouco antigo, está fora da mídia, mas ainda expressa bem o que quero demonstrar aqui nesse post.
A Bíblia cita, em vários trechos, uma preocupação grande com o poder da língua (Provérbios 6:17; Tiago 3:6) e com aquilo que falamos.Isso porque com ela, como disse Paulo, podemos levantar reinos e destrui-los também. Jesus afirmou que aquele que usa de sua língua de forma inadequada não será tomado por inocente (Tiago 1:26). E num momento posterior recomendou "abençõe, digo-vos, abençõe e nunca amaldiçoe" Romanos 12: 14.
Uso desse argumento, junto com o comercial, para demonstrar como uma fala colocada de forma inadequada, e como o julgamento precipitado, podem destruir a vida de uma pessoa.
Há uns 15 ou 20 anos atrás, uma escola em São Paulo, ganhou grande notoriedade nacional por causa de uma "denuncia" de maus tratos imposta a crianças do primário. Detalhe: essa denuncia nunca foi confirmada. O resultado prático: os pais, com medo, tiraram seus filhos da escola, que foi à falência. Um dos membros da direção e que tinha um emprego público, foi demitido do seu emprego.
A família, dona da escola, outrora orgulhosa e feliz, convive, hoje, com a depressão e com a miséria. A escola nunca mais se reergeu.
Sabe qual foi a verdade apurada algum tempo depois? Uma das mães estava inadimplente há meses, e para evitar o pagamento das parcelas atrasadas, inventou uma história, tão bem montada que todos acreditaram. Ela teve de responder a um processo, do qual foi perdoada e considerada, maldosa. Pagou umas cestas básicas, e ficou tudo por isso mesmo.
Algo parecido está acontecendo comigo agora.
Com que direito, quem quer que seja, acha que pode avaliar a minha vida pregressa e atual, com base num único escrito, ou numa dúzia de falas todas tiradas dos seus contextos?
Nenhum psicólogo, ou médico, pode  fazer qualquer afirmação sobre o estado de saúde de uma pessoa sem antes fazer uma série de exames, conversas. Em alguns casos, é preciso conversar com a família...
Enfim, e mesmo nesses casos sempre  há a possibilidade de equívocos... Mas a medicina popular, essa sempre acredita em remédios naturais, em alimentos naturais, e coisas outras, que levam à conclusão de que qualquer uma pode oferecer cura, exceto os médicos.
Costumeiramente, valiamos as pessoas, com base em nossos conceitos, nossa própria história de vida e nossos valores. Somos bastante arrogantes nisso.
Dito isso, novamente e pela última vez, vou afirmar que não sou assassino, nem de mim mesmo e nem dos outros. Quem está usando de sua influencia, imaginação, atuação  persistente junto à direção da escola, é que pode assim se considerar uma vez que vem matando sistematicamente um profissional de educação com 20 anos de atuação. Duas vezes concursado pelo Estado, tendo sido aprovado em segundo lugar em um dos concursos, aprovado em seleção simplificada para ser professor substituto do CEFET, especialista em Química pela Universidade Federal de Lavras e ex estudante do Mestrado da UNEB. Acho que meu currículo diz muito sobre mim, e quem tem dúvidas sobre minha competência e seriedade, deveria passar ao menos um mes convivendo comigo para que pudesse chegar a qualquer avaliação.
Conheço casos de  pessoas que entrando nas escolas, cometeram desatinos terríveis, assassinando alunos e professores, matando-se logo em seguida. Em quase todos esses casos, os assassinos eram estudantes, e ninguém, antes dos desatinos diria que qualquer deles poderia comete-los. Todos sabemos desses casos. 
Se alguém ainda julga que eu sou um desequilibrado, segundo os espcialistas, Judas era o único elemento psicológicamente equilibrado... pesquisem sobre isso e terão uma surpresa.
Professores, não é de hoje, vem sendo vítimas de estudantes e ninguém usa de bom senso em defesa desses profissionais. Aliás, a coisa é tão séria, que mesmo em defesa da boa formação deles, um profissional pode responder a um processo administrativo, ou no Ministério Público apenas por advertir uma aluno que esteja em falta de respeito. Semana passada, uma aluno na escola onde trabalhava, dizia "porras", "putas que pariu" e "caralhos" e outros termos deste nível. Chamei sua atenção dizendo a ele que medisse os termos que usava, e que o ambiente pedia um pouco mais de respeito no falar. Um colega desse saiu em sua defesa, afirmando que cada um fala o que quer, e que se eu achava ruim, eu deveria procurar outra escola para lecionar. Detalhe: foi dessa escola que pedi demissão há poucos dias atrás, e que ainda tenho cumprido com o papel profissional de encerrar a 1ª unidade apenas. Para isso, não há quem defenda o profissional. 
Recebi e-mail outro dia com uma história de uma profissional que estava respondendo no Ministério Público, por um de seus alunos, se sentindo contrangido a denunciou. A denuncia foi motivada pela "inadequada" postura da professora, que chamou a atenção do aluno pedindo a este que falasse mais baixo. O dito  aluno teria ainda ameaçado a professora e sua família, dizendo este que sabia onde a professora morava assim como os horários de entrada e saída da filha dela na escola.
O menino? Teve uma repreensão leve; do tipo "não faça isso de novo." por parte do juiz da vara da infância e adolescência. 
Já tive aluno colocando uma arma no meu peito, e um, uma vez jogou uma carteira em minha direção. Até onde sei, nunca aconteceu nada a qualquer deles. 
De  qualquer sorte, venho tendo alguns problemas de saúde. Ninguém pede para ficar doente. Inclusive eu. Mas tenho tido alguns problemas, e dificuldade para conseguir um diagnóstico. Aliás, a falta de diagnóstico tem sido um problema triste. Na última consulta, a médica que me atendeu foi de um preconceito terrível... julgando que os sintomas que me levaram ao hospital eram apenas da minha imaginação. Ainda sinto a dor no peito... e a tontura, assim como a dificuldade em respirar, vez por outra.
Meus argumentos em meu favor são esses. Mas agora, passo ao ataque.
Aquele que, sem qualquer motivo real acusa outro daquilo que efetivamente não fez, comete um crime previsto em Lei. Quem tenta fazer uso ilegal da medicina, fazendo diagnósticos equivocados também. Incomodar profissionais em seu local de trabalho com falsas falas, de igual maneira.
Sei como me defender, e que no ?Estado de Direito sob o qual vivemos, o ônus da prova cabe a  quem acusa. Se me acusam de ter devio de personalidade, qualquer que seja, provem-no. E se não podem prova-lo, calem-se, ou estarão sujeitos aos rigores da  Lei, que nesse caso está inteiramente do meu lado.
Não sou assassino, nem suicida. E se alguém tem mesmo preocupações   com isso, comecem os ajustes fazendo seus filhos ficarem menos tempo em frente à TV, e ao microcomputador.
Eu sou um professor, formado e aprovado em concurso. Recentemente avaliado por psicóloga, para fazer uma cirurgia bariátrica. E que está tendo, por infeliz coincidência, alguns problemas de saúde, que aqueles que podem avaliar, estão avaliando, e ainda não chegaram a um julgamento.
Estou a partir dessa segunda-feira procurando advogado para fazer valer o meu direito. Por como cidadão eu os tenho. Invoco-os. Se vocês que estão me acusando se julgam muito equilibrados, corretos, cristãos e qualquer outra coisa, recomendo que reavaliem suas ações, e as consequências delas.
Tomo a Deus por testemunha de minhas ações e palavras nos últimos 20 anos, enquanto profissional. Se uma única vez agi com base no interesse que não fosse do meu aluno, e da instituição para a a qual trabalhava, então que Ele me dê o remédio certo para minha atitude. Mas se não, que as acusações e maldades dos que me acusam caiam sobre eles mesmos. 
Quanto aos meus alunos, segundo depoimento por escrito deles, as coisas não correspondem exatamente ao que os pais tem dito. Surge então uma pergunta: a quem estão mentindo? A mim, aos pais, ou a si mesmos?
Após tudo isso, peço, encarecidamente, orem por nós professores, por nossa saúde física,  emocional e mental. Usem de palavras de benção em relação aos professores da escola, orem pedindo a Deus que use de misericórdia...
lembrem-se que o juízo será sem misericórdia para aquele que não usou de misericórdia. Esse é um ótimo momento para vc usar a sua.

Postagens mais visitadas deste blog

Professora gostosa foi expulsa da escola por deixar alunos excitados.