Ano novo, velhas promessas

Todo ano, algumas práticas se renovam. Promessas, votos, consultas às forças sobrenaturais, abraços, IPVA e IPTU. De tudo isso, as únicas coisas certas são os impostos!
Entretanto, me chama a atenção as promessas que fazemos. Aparententemente nos enganamos, e aos nossos pares com as promessas vazias. Muitas que sabemos, não iremos cumprir. Ou porque nos falta a motivação correta, falta instrumentos internos, ou externos, falta vontade mesmo... e sobre muita preguiça, sobra desculpas.
Muita gente se promete emagrecer, as vezes, um peso impossível de se perder, sem perder saúde junto. Já fiz muito isso.
Há dois anos atrás comecei um programa de reeducação alimentar. Foi dificil, perdi algum peso, gastei horrores com remédio, com médico. Minha auto-estima oscilou. Quiz jogar a toalha... mas to aqui. Ainda longe do prometido, mas sigo tentando. Esse ano, ainda, farei uma cirurgia bariátrica.
Mas, depois de muito pensar, percebi que inevitavelmente, o ano começa, como o outro terminou. Com problemas  no casamento, com a auto-estima em baixa, com muitos problemas comigo mesmo e com o mundo.
Fiz, entretanto, uma promessa, que divido agora com meus leitores. Prometo que serei uma pessoa melhor. Um homem melhor. Mesmo que minha esposa não me perceba e não me mereça, serei um marido melhor, serei um pai melhor para minha filha; um filho melhor para minha mãe. Não irei deixar a desejar para os meus alunos. Serei mais relax.
Como disse a Ana, terei menos razão, e serei mais feliz.
Decisão dificil? Creio que sim. Mas acho que trará menos sofrimento que simplesmente continuar.
Não irei me mutilar! Não irei compactuar com o erro (nunca compactuei nem com os meus!), mesmo havendo cometido, e cometerei muitos com certeza; não serei cínico. Sobre isso, não há argumetno, nem pactos.
Esse ano que passou, achei de cometer um, do qual me arrependo profundamente. Mas me perdoeei, até porque me entendo mais humano hoje, inclusive na percepção de que sou falho. Não negarei meus erros, mas não sofrerei com eles, tanto quanto não compactuarei com eles. Não serei solidário a eles.
Me entristece os que, sabendo de outros que são até mais próximos que eu, e cometem os mesmos erros, ainda assim apontam-me o dedo, e fazem classificações estranhas a meu respeito, negando as boas ações que pratico, mas enaltecendo fortemente as ações que não merecem ser sequer nomeadas.
TODOS QUE ESTÃO NAS MINHAS MÍDIAS SOCIAIS, ESTÃO PORQUE ME PEDIRAM. NUNCA CORRI ATRÁS DE QUALQUER DELES, ALUNOS OU COLEGAS. Sei, apesar disso, com quais poderei ou não contar.
Percebo que tenho o respeito deles, e quase joguei no lixo isso, com uma atitude apaixonada que não cabe mais no meu atual ciclo de vida.
Enfim, em 2012 vou realizar muito porque estou me propondo a fae-lo. Porque estou encontrando forças dentro de mim, que nem sabia que tinha. Estou me tornando um homem melhor. E hoje, se diante do Pai tiver de prestar satisfação, posso afirmar sem medo, e consciente: "Tenho feito meu melhor!"
Desejo, mais uma vez, para todos um feliz 2012.
A vingança perfeita contra quem nos deseja o mal: ser feliz!

Postagens mais visitadas deste blog

Professora gostosa foi expulsa da escola por deixar alunos excitados.